quinta-feira, 29 de julho de 2010

Ex-presidente da ONG Água e Vida confirma saque para pagar campanha

Rodrigo Sousa - DG

Segundo a ex-presidente da ONG Água e Vida, Denise Xavier Veluchi, verbas destinadas à instituição foram usadas mais de uma vez para pagamentos de empréstimos obtidos pelo então candidato Sebastião Almeida (PT) para sua campanha nas eleições de 2008, o que configuraria crime eleitoral. A declaração foi feita na tarde de hoje durante depoimento prestado por Denise ao delegado Ricardo Sancovich na 3ª Delegacia de Assuntos Institucionais da Polícia Federal (PF) em São Paulo. Entre outras afirmações Denise disse que durante a campanha eram realizados churrascos e festas com dinheiro da ONG. Ela também teria confirmado ao delegado que quando presidia a instituição teve que pagar quatro cheques de R$ 5 mil cada a um importante empresário da cidade para saldar empréstimos feitos a Almeida durante a campanha. Segundo a depoente, as retiradas eram autorizadas pela primeira-dama, Lourdes de Almeida, que apesar de não estar mais na direção da instituição, tinha total controle sobre tudo que acontecia no local. O depoimento de Denise deu prosseguimento ao inquérito que foi aberto pela PF no ano passado, sob o número 0122/09-3, após o Ministério Público Eleitoral acatar denúncia da bancada tucana no Legislativo. Além disso, em abril deste ano o Partido Popular Socialista (PPS) deu entrada na Câmara Municipal no pedido de impeachment do prefeito Almeida e de seu vice Carlos Derman por desvio de verba pública que era destinada à ONG Água e Vida. No mesmo período também foram enviadas cópias de um dossiê de 503 páginas para diversos órgãos da Justiça estadual e federal. Paralelo a esses acontecimentos, este ano, o Ministério Público Eleitoral fez nova representação à PF, pedindo que fosse colhido o depoimento de Denise e do próprio prefeito Almeida. “O delegado deixou bem claro para minha cliente que o que lhe interessa é o período de 2008, quando os atos praticados pelo então candidato a prefeito (Sebastião Almeida) podem ter configurado crime eleitoral”, disse o advogado de Denise, João Kalil. Segundo João Kalil, no depoimento Denise fez um histórico de seu trabalho na presidência da ONG e teria deixado o delegado a par de todas as irregularidades que aconteciam no local. “Após ouvir os relatos, o delegado deixou escapar que há indícios fortes de várias irregularidades e crimes cometidos pelo atual prefeito”, disse o advogado. Embora não tenha sido confirmado é provável que o prefeito Almeida seja o próximo da lista a ser convocado para depor na PF.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Tudo para a ONG da primeira-dama

Entidades comandadas por mulher e amigos do prefeito de Guarulhos são investigadas por desvios de verbas da Saúde e caixa 2 para campanhas eleitorais

Alan Rodrigues


Guarulhos, a segunda maior cidade paulista em arrecadação e a sétima do País, está abalada por uma investigação conduzida pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP). O inquérito nº 79/2010 instaurado pela Promotoria de Justiça da cidade investiga um suposto escândalo de corrupção que envolve a prefeitura e duas conhecidas instituições não governamentais dedicadas à implantação de programas sociais na área da Saúde. Estas ONGs, fundadas pelo próprio prefeito de Guarulhos, Sebastião Alves de Almeida, e que foram administradas por seus familiares e assessores, seriam possivelmente utilizadas como fachada para um esquema de caixa 2 destinado a financiar campanhas eleitorais, segundo o Ministério Público.




AFINADOS
O prefeito Sebastião Alves de Almeida e sua mulher, Maria Alves de Almeida,
investigados pelo desvio de verbas públicas do programa Saúde da Família



De acordo com a acusação, as duas ONGs receberiam recursos do programa Saúde da Família para contratar as equipes que operariam os seviços no município. O dinheiro, porém, acabaria desviado com a contratação de um número de médicos, enfermeiros e funcionários menor do que o declarado por elas. Nos próximos dias, os promotores irão rastrear saques bancários feitos pelas entidades, na boca do caixa, em volume de dar inveja a qualquer mensaleiro.

Conforme denúncias aceitas pela Promotoria de Guarulhos, o prefeito Almeida (PT) teria facilitado contratos que rechearam os cofres das ONGs com mais de R$ 37 milhões nos últimos seis anos. A Casa de Cultura Água e Vida e o Instituto de Promoção Social Água e Vida, as entidades sob suspeita, foram fundadas por Almeida quando ele ainda era vereador na cidade Em 2008, quando ele assumiu a prefeitura, o Instituto já tinha passado a ser presidido por sua mulher, Maria Alves de Almeida, conhecida na cidade pelo apelido de Lourdes. Por seis meses, a primeira-dama do município seguiu neste cargo, embora já tivesse assumido também a direção do Fundo Municipal de Solidariedade, uma espécie de secretaria que cuida dos convênios sociais. O MP considera gravíssima a dupla função, ainda que por curto período de tempo. Além da mulher do prefeito, as entidades ainda contavam com a participação da filha dos Almeida, de seu namorado e de outros seis assessores da prefeitura, numa verdadeira “ação entre amigos”, segundo o MP.

“Não existe nenhum problema nisso, porque minha mulher não assinou nenhum contrato”, diz Almeida. “Não é da noite para o dia que se sai e se esquece de uma entidade”, afirma o prefeito, que ainda hoje é avalista do imóvel alugado pela instituição.O fato de as duas ONGs funcionarem como “irmãs siamesas”, de acordo com a definição da denúncia ao MP, também não seria um problema para o prefeito. “É que uma tem função de ajudar a outra”, argumenta. Na quarta-feira 12, os promotores começaram a ouvir as partes envolvidas na denúncia que também foi entregue à Controladoria-Geral da União (CGU), ao Ministério Público Federal e à CPI das ONGs do Congresso Nacional.



O caso de Guarulhos chegou até os promotores por denúncias feitas justamente pelos dois atuais presidentes das entidades, Denise Laura Xavier Veluchi, da Casa de Cultura, e João Luiz Martins Rubira, do Instituto. Ambos eram amigos íntimos do casal Almeida. “Acontece que cansei de ser usada”, diz Denise. “Eu era um laranjão”, define Rubira. Eles responsabilizam o prefeito pelas irregularidades apontadas e dizem que havia complacência do político com as falcatruas. “Quinzenalmente, eu tinha que prestar contas da entidade em café da manhã na casa do prefeito, com ele e sua mulher”, relata Denise.

“De fato ela já esteve em minha casa, uma ou duas vezes, mas para conversar com minha mulher”, alega o prefeito. “O resto é tudo mentira”. A distribuição das verbas da prefeitura, segundo ele, seguiu “critérios técnicos”. Almeida diz que as acusações não passam de jogo político eleitoreiro. “Eles se venderam para nossos adversários”, acusa. O prefeito admite, porém, que Denise e Rubira se tornaram dirigentes das ONGs por indicação direta da família Almeida e seus assessores. “Ela era amiga de minha mulher e o João eu conheci no movimento sindical”, conta.

DENÚNCIA
Ex-presidentes das ONGs, Denise Veluchi
e João Luiz Rubira, que se define como um “laranjão”
temiam ser responsabilizados pelas irregularidades


Denise, que recebia um salário de R$ 5 mil na Casa de Cultura, e Rubira, que recebia R$ 3 mil, dizem que resolveram denunciar o esquema de desvios porque temiam ser responsabilizados pelas irregularidades. “Eles queriam que eu assinasse o balanço de 2009 sem que eu soubesse de nada e eu não aceitei”, diz Denise. “Já assinei muito cheque sem saber a finalidade e fiquei com medo de continuar fazendo coisa errada.” Os documentos em poder do MP mostram que mais de 90% dos recursos que abasteciam o caixa da Casa de Cultura Água e Vida saíram dos cofres da União através de convênios do programa Saúde da Família. Os possíveis desvios poderão ser comprovados pelos livros-caixa das entidades. “Existem vários cheques de mais de R$ 100 mil descontados na boca do caixa, pagamentos de diretores e provas do caixa 2”, diz Denise. Para comprovar a utilização de dinheiro não contabilizado movimentado pela entidade, como a retirada de recursos por diretores, pagamentos em espécie para a primeira-dama e contas superfaturadas, Denise apresentou ao MP cópias de um livro-caixa. “Esses documentos me foram passados pelo namorado da filha do prefeito, o Diego”, afirma a ex-presidente. “Vamos provar que tudo isso é uma farsa”, rebate Almeida. O prefeito confirma que o namorado de sua filha trabalhou na ONG e hoje é seu assessor.

As acusações em poder do MP estão descritas e documentadas em 502 páginas, contendo extratos bancários, prestações de contas e cópias de contratos. Entre as folhas 404 e 429, as movimentações bancárias revelam saques de cheques de alto valor, que a ex-presidente da entidade, Denise, garante não ter a menor noção a que se referem.“Eu não tinha acesso a senhas e muito menos à vida financeira da entidade. Fui colocada ali para ser usada”, diz ela. Um extrato bancário da conta-corrente da Casa de Cultura Água e Vida mostra que no dia 2 de abril do ano passado foi sacado no caixa da agência do Banco do Brasil no bairro Jardim Tranquilidade o cheque de número 852.273, no valor de R$ 168.333,54. A quantia foi compensada para outras contas que o MP agora vai rastrear. Extratos de apenas dois meses revelam que a prática de grandes retiradas se repetia rotineiramente. Em 8 e 11 de maio de 2009, na mesma conta e agência, foram sacados outros R$ 323.452,92. À ISTOÉ, em seu gabinete, o prefeito Almeida exibiu documentos bancários demonstrando que as retiradas na boca do caixa foram feitas para o pagamento de salários. “Está evidente que houve um erro do banco no lançamento dos extratos”, diz o prefeito. “Conseguiremos provar que tudo isso é uma farsa”, conclui. O MP é mais cauteloso. O promotor Nadim Mazloun assegura que só depois de um rastreamento bancário mais detalhado será possível estabelecer quanto dinheiro saiu dos cofres das ONGs e qual o exato destino dado a ele. “Está é uma investigação delicada que envolverá a quebra do sigilo bancário das entidades e das pessoas envolvidas”, afirma Mazloun.


FONTE:

http://www.istoe.com.br/reportagens/72925_TUDO+PARA+A+ONG+DA+PRIMEIRA+DAMA?pathImagens=&path=&actualArea=internalPage

quarta-feira, 12 de maio de 2010

CRITICAS DA BANCADA PETISTA




Alguns dias atrás tive a oportunidade de presenciar a postura de alguns Vereadores da Câmara Municipal de Guarulhos, após a votação do pedido de apuração das denuncias feitas contra a ONG Água e vida e o Prefeito Sebastião Almeida (PT), por supostamente estar envolvimento no desvio de mais de R$ 32.000,00 Milhões de Reais em verbas publicas para sua campanha eleitoral e na qual ele é fundador e sua mulher e filha fazem parte da diretoria executiva da ONG.

O que mais surpreendeu foi a posição dos Vereadores do Partido dos Trabalhadores (PT), que com peito cheio vieram defender o suposto ladrão Prefeito Sebastião Almeida (PT), (ou simplesmente foram defender seus cargos comissionados, vai lá sabe) mais por fim, fizeram duras criticas a todos que foram a favor da apuração.

(E se posicionaram como verdadeiros Donos da Bola, se não for do jeito deles ninguém joga).

Alem disso fico triste de estar sempre nos bastidores da Câmara Municipal de Guarulhos, e de ficar sabendo das coisas que acontecem por lá, hoje temos quase certeza (Só não falo aqui que é certeza, pois é uma suposta certeza, mais todos sabem o que acontece por lá), hoje tenho conhecimento que Vereadores supostamente estão recebendo dinheiro ou cargos (mensalão do PT) do atual Prefeito Sebastião Almeida (PT) para ficarem caladinhos, como podemos ver a Câmara viro uma verdadeira casa de negócios (Quem da mais), essa semana fiz uso da tribuna livre, e defendi o movimento dos acorrentados pois vereadores da Cambada Petista...Opis... Bancada Petista.

Então, Vereadores da Bancada Petista falaram que o movimento dos acorrentados foi tudo pago pela oposição e fizeram duras criticas contra nossa posição livre e verdadeira.

Criticas da cambada:

1º Segundo Vereador Alencar Santana, pessoas do movimento dos acorrentados estariam a mando de partidos e que também tem pessoas filiadas a grêmios partidários.

R: Olha aqui nem uma das pessoas que estava ali, estava por obrigação todos estavam por sua livre espontânea vontade, ao contrario dos 25 Vereadores, que supostamente foram comprados e votaram Sim para o arquivamento das denuncias, outra coisa se os manifestantes tem filiação em grêmios partidários isso não tira o direito deles de se manifestarem, em pró de dias melhores.

Pois quando tem projetos da cambada, a Câmara enche de Petista.

O Vereador Zé Luiz líder da Cambada, nos acusa de ter recebido apoio da oposição.

R: Esse Vereador ta achando que estamos ali para servi de manobra política para outras pessoas, POIS SE ACHO VEREADOR, ACHO ERRADO, somos donos do nosso próprio nariz e sabemos o que estamos fazendo, e se você e sua cambada quisessem nos apóiar por dias melhores deixando seus interesses de lado pode ter certeza, que o senhor e todos seriam bem vindos.

3º O Vereador Edmilson Souza, nos acusa de ter pago R$ 30, REAU para nossos manifestantes ficarem acorrentados.

R: Nobre Vereador como o senhor e digno de sua preocupação !

Quando vossa nobreza, recebeu em mãos a copia do DOSSIÊ contendo 600 paginas protocoladas no Ministério Público, e que contem os livros caixa os extratos bancários os livros atas mostrando supostas irregularidades que apontavam o desvio, de mais de R$ 32.000,00 Milhões de Reais, na ONG Água e vida que o Prefeito Sebastião Almeida (PT) fundo, o Senhor nem se quer deu o luxo de apurar e desqualifico todas as provas de acusação, e agora você quer descobri da onde veio R$ 30,00 Reais. (Tenha dó)

4º Segundo o Vereador Edmilson Souza, ele implanto um espião para descobri quem tava por traz da manifestação.

R: Vereador o senhor e muito fanfarrão, porque você não implanta esse espião lá na obra da ponte que já faz mais de 4 anos que não termina para vermos a onde esta indo o dinheiro dos Guarulhences, ou ate mesmo na ONG do Prefeito Sebastião Almeida (PT) para ver a onde foi para os R$ 32.000,00 Milhões de Reais, também acho que o senhor deve ter ficado triste ao descobri que um grupo de jovens com vergonha na cara que organizo tudo e não a oposição assim como você e a cambada falam.

5º O Vereador Zé Luiz nos acusa de estarmos pagando BOLSA GOLPE para manifestantes.

R: Quem um dia ia imaginar que o senhor tem uma mente tão fértil Vereador, sei que o senhor ultimamente não cuida nem da sua Cambada Petista, mais aviso ao senhor que.

BOLSA FOME, BOLSA MISÉRIA, BOLSA VOTO não só eu que estou dando essa coisa de Bolsa e do PT, ou ate mesmo da filha do Prefeito Sebastião Almeida (PT) que compro uma BOLSA PRADA de R$6.000,00 Reais com dinheiro da ONG, Água e vida. (Dinheiro do Povo)

6º Segundo o Vereador Edmilson Souza o seu espião já gravo um vídeo onde ele relata ter ganho R$ 30,00 Reais para participar da manifestação e que esse vídeo será mostrado em alguma, das próximas sessões da câmara Municipal de Guarulhos.

R: Se ele ganho R$ 30,00 Reais eu também quero, poxa gente e triste saber que eu e os outros 15 acorrentados não ganhamos nada e ficamos comendo pão com mortadela a semana toda. (Assim não da)

Vereador aproveita que essa coisa de vídeo na câmara ta na moda, mais quero lembra a você que, quem começo essa coisa ai foi petista, (Será que essa moda pega) tem mais, o senhor pode ter certeza que esse vídeo vai passar na integra, nem um dos acorrentados ira correr para apagar as luzes da Câmara Municipal assim que nem vocês da cambada petista fizeram

7º O Vereador Jonas Dias nos acusa, que teríamos levado menores de idade para manifestação.

R: Meu vereador você faz parte da Cambada e pelo que vejo não deve participar muito dos movimentos de seu partido ou pela sua idade avançada deve estar com suas vistas prejudicadas pelo longo tempo de vida. Mais Vereador Jonas Dias seu partido sempre levo manifestantes menores de idade e você nunca falo nada ou simplesmente não viu.

Mais falando serio, SIM realmente tinha pessoas menores de idade SIM assumo a responsabilidade delas estarem lá, mais só percebi quando fui olhar os RG de cada um dos manifestantes que estava lá para passar a Guarda municipal, mais assim que os identifiquei agradeci pela presença e pedi que fossem para casa pois já estava ficando tarde (21:hs), mais agradeço a essa moçada e peço que continuem assim com garra e determinação pois o futuro e de vocês.

8º Segundo o Vereador Edmilson Souza e seu espião, assim que acabo a votação todos integrantes dos acorrentados foram para a sede do PSBD.

R: Lógico Vereador Edmilson, pedi a todos os manifestantes para se encaminhassem à sede de PSDB simplesmente para agradecer os nobres vereadores que tiveram compromisso com a sociedade Guarulhences e pedi que buscassem esfihas para que todos comecem.

Ao contrario do seu Prefeito Sebastião Almeida e seus 25 Vereadores que se encontraram no restaurante Casa 10 e tomaram diversos vinho que custam R$ 500,00 Reais Cada, e gastaram mais de R$ 5.000,00 Reais na conta do povo. (Di novo)

9º Segundo o Vereador Edmilson Souza, os manifestantes dos acorrentados eram todos cheirosos pois eles saiam e voltavam de banha tomado.

R: Quando ocupamos a Câmara Vereador negociamos com a Guarda Municipal a nossa ocupação pacifica, e exigimos a saída de um por vens, para que os manifestantes pudessem sair e retornar de suas casa. (Nois e pobre mais é limpinho)

terça-feira, 27 de abril de 2010

Jovens se acorrentam para exigir apuração em denuncias que envolve Prefeito de Guarulhos


A apuração de acusações de corrupção contra o prefeito de Guarulhos, Sebastião Almeida (PT), provoca tumulto na Câmara Municipal da cidade. Há cerca de 20 policias militares no plenário, lotado de manifestantes.
Dez estudantes adolescentes se acorrentaram uns aos outros e prometem permanecer no local até garantir que o processo contra o prefeito terá continuidade. Procurado pelo G1, o prefeito de Guarulhos não quis se manifestar.
O principal denunciante sobre o suposto esquema de corrupção prestou depoimento na manhã desta terça-feira. Agora os manifestantes querem garantir que a comissão que trata do assunto dê continuidade ao processo. O denunciante tinha depoimento marcado para segunda-feira (26) pela manhã, mas adiou o compromisso para esta terça (27).
A comissão especial de 17 vereadores criada em 13 de abril para investigar o caso tem até meia-noite de quarta-feira (28) para produzir um parecer, a favor ou contra a continuidade do processo. Esse parecer deve ser concluído nesta quarta-feira (28).
O parecer será submetido ao plenário e, se aprovado , abrirá espaço para a criação da comissão especial. Essa comissão poderá aprofundar as investigações e tem poder para pedir a cassação do prefeito nos próximos meses. Caso o pedido de criação da comissão não seja aprovado, o caso será arquivado.
Segundo a Lei Orgânica do Município, artigo 65, após receber o parecer da comissão especial, o presidente da Câmara, Alan Neto (PSC), deve convocar uma sessão especial para votar o relatório elaborado pelo relator da comissão especial, Edmílson Souza (PT). O parecer tem de ser aprovado em plenário por pelo menos 20 vereadores.
O vereador Rui Ricardo (PPS), integrante da oposição, afirma que o prefeito é acusado por uma ex-dirigente da Organização Água e Vida de má gestão de recursos públicos do programa Saúde da Família. Ainda de acordo com ele, há denúncia de que projetos em parceria com a prefeitura não eram realizados em sua totalidade e que houve saques irregulares de recursos envolvendo vários nomes da cidade, entre eles, o de um empresário fotografado em um churrasco fornecido pela prefeitura a agentes de saúde.

O vereador Alencar Santana (PT), disse que o depoimento do denunciante não mostra qualquer motivo para que a comissão especial seja instalada. "A comissão não tem qualquer elemento que possa concluir que o prefeito tenha praticado qualquer ato de responsabilidade político-administrativa. O denunciante foi ouvido e demonstrou total despreparo e total desconhecimento. Ele não soube apontar nenhum fato praticado pelo prefeito. Ao contrário, disse que sequer conhecia os termos da denúncia e que sua denúncia foi tão somente política, representando o PPS", disse o vereador petista.

Fonte Globo.com
http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2010/04/estudantes-se-acorrentam-para-exigir-cassacao-do-prefeito-de-guarulhos.html

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Vereadores pedem impeachment do Prefeito Sebastião Almeida de Guarulhos.


O vereador Ricardo Rui (PPS) deve entrar nesta terça-feira, durante a sessão ordinária da Câmara Municipal de Guarulhos, o impeachment do prefeito Sebatião Almeida e de seu vice Carlos Chaiderman, ambos do PT, por uma série de irregularidades praticadas durante a campanha eleitoral, na atual gestão, no que se relaciona a ONG Água e Vida, criada em 2001. O caso, que envolve formação de quadrilha, incluindo o atual prefeito e o ex Elói Pietá, já está nas mãos do Ministério Público Estadual, conforme relatório abaixo, incluindo desvios de verbas que só em 2008 somaram mais de R$ 40 milhões.

Ong criada por prefeito de Guarulhos usa dinheiro de Programa Federal em campanhas eleitorais

Casa de Cultura Água e Vida Instituto de Promoção Social Água e Vida

Casa de Cultura - ONG criada em 2001 pelo então superintendente do Saae, Sebastião Almeida, que foi eleito vereador em 2000 ao lado do prefeito Elói Pietá, ambos pelo PT.

Objetivos iniciais – trabalhar em projetos de preservação da natureza e educacionais na região de Guarulhos. Logo depois começa a receber verbas públicas para programas educacionais com recursos oriundos da Prefeitura de Guarulhos, como o Educriança

Em 2002, Almeida se elege deputado estadual com o apoio irrestrito da administração de Elói Pietá.

Em 2003, o grupo de Almeida funda outra ONG, o Instituto de Promoção Social Água e Vida.

Em 2003, a Casa de Cultura realiza assembléia e altera seu estatuto social, integrando a partir de então as áreas de Saúde, Educação, Cultura e outras.

Desta forma, habilitou-se a receber em um futuro próximo recursos do Programa Saúde da Família, provenientes do Ministério da Saúde, via Secretaria Municipal de Saúde de Guarulhos.

- Em 2004, Elói Pietá se reelege prefeito de Guarulhos

- Em 2005, a Casa de Cultura já contratava ASF (entre 300 e 400)

- Em média, a ONG passou a receber R$ 700 mil por mês para esse fim.

- Em 2006, SEBASTIÃO ALMEIDA se reelege deputado estadual, numa eleição em que dobrou com a primeira-dama, JANETE ROCHA PIETÁ, que se elegeu como deputada federal pelo PT. Neste período, os ASF já atuavam como espécies de cabos eleitorais nos bairros da cidade.

- estima-se que entre 2005 e 2008, a ONG recebeu cerca de R$ 30 milhões da Prefeitura. Somente em 2008, ano eleitoral, foram repassados mais de R$ 20 milhões para a Agua e Vida só pelo Programa Saúde da Família. A contabilidade de 2008 soma movimentos superiores a R$ 40 milhões.

- Em 2009, já após o fim do contrato, foram repassados mais R$ 5,2 milhoes pela Prefeitura, ainda pelo PSF..

- Além da Agua e Vida, o Instituto Diet e o Hospital Stella Maris também recebiam verbas do PSF, mas não superior a R$ 100 mil ao mês.

- Os ASF atuavam desde o início com a orientação de divulgar as ações políticas do partido, do prefeito e do deputado que conseguiu se reeleger em 2006.

- A ONG cresceu e ampliou suas ações, com a criação de uma TV (Cantareira, que opera na NET, canal 8), centros de inclusão digital e loja social (esta recebe doações do Instituto Avon, para a realização de bazares. Quem cuida da lojinha é FLAVIA ALVES ALMEIDA, filha do atual prefeito, que inclusive tinha um cartão bancária em nome da Água e Vida, que lhe dava poderes de sacar dinheiro e movimentar a conta da instituição).

- na campanha política de 2008, quando a chapa ALMEIDA/DERMAN venceu no segundo turno, os ASF tiveram papel fundamental, já que atuaram descaradamente como cabos eleitorais, promovendo reuniões com os candidatos a vereador (SIDNEY DUARTE, presidente da ONG até então) e com Almeida, nas comunidades onde atuaram ao longo de quatro anos.

- por determinação da Justiça, a Prefeitura de Guarulhos, em 2008, ficou impedida de terceirizar os serviços de ASF, já que saúde é uma função do Município e não pode ser repassada a ONGs. ELÓI PIETÁ, então, em seu último ano de mandato, iniciou o processo para a prefeitura contratar diretamente, o que veio a ocorre somente no início de 2009, quando Almeida já havia sido eleito. Ainda assim, em 2009, a ONG recebeu R$ 5,2 milhões.

- em 2009, todas as pessoas que conduziram a ONG nos anos anteriores foram nomeadas em cargos comissionados na Prefeitura de Guarulhos. Alguns inclusive ocupam cargos de destaque na atual administração, como RAFAEL BERTOLDO PAREDES GIOVANI, atual Chefe de Gabinete do prefeito Almeida, e PAULO VICTOR NOVAES, diretor de Departamento da Defesa Civil da Prefeitura de Guarulhos, entre outros.

- no final de 2008, após as eleições municipais, uma nova presidente – Denise Laura Xavier Veluchi - assumiu a ONG e passou a responder pela entidade. Mesmo após ela assumir a ONG, aparecem vários documentos assinados pelo ex-presidente e pelo novo secretário municipal de Saúde, o vice-prefeito na chapa de Almeida, CARLOS CHAIDERMAN

- no início de 2009, muitos ASF demitidos entraram com ações na Justiça trabalhista. Eles se sentiram traídos pelo atual prefeito SEBASTIÃO ALMEIDA que, durante a campanha, garantiu que eles não perderiam seus empregos.

- no início da administração, a nova presidente descobriu um caixa 2 e quis regularizar a situação. A primeira dama MARIA ALVES DE ALMEIDA,conhecida como LOURDES, já como presidente do Fundo Municipal de Solidariedade, então passou a ingerir diretamente na administração, impedindo Denise de trabalhar. Ela entendeu que era apenas uma laranja, sem qualquer poder de ação.

- percebendo as implicâncias jurídicas, após perder até a sala e a mesa na ONG, ela decidiu contar tudo que sabia, inclusive sobre os quatro anos anteriores de sua administração, juntando documentos como cópia de um caixa 2, que mostra os movimentos financeiros em que muitos valores vão para a campanha de 2008, saques milionários em dinheiro na boca do caixa, ausência de uma contabilidade fiscal que justificasse a destinação de verbas públicas, bem como valores arrecadados com vendas de materiais doados, como da Avon, na loja social da entidade.

Todo o processo, totalizando quase 600 páginas, foi encaminhado ao MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL, sob número de protocolo 0044902/10, em 7 de abril de 2010, solicitando a investigação e apuração de eventuais ilícitos praticados nas duas entidades, sugerindo inclusive – a partir dos documentos recolhidos (contratos, documentos diversos, extratos bancários, planilhas e prestações de contas) – que foi formada uma verdadeira quadrilha, formada por SEBASTIAO ALMEIDA, MARIA ALVES DE ALMEIDA (LOURDES), FLAVIA ALVES DE ALMEIDA, SERGIO MURILO DUARTE, NORMANDO RUBENS SILVA, MOREIRA, EDIR GOMES DE SOUZA, JOAO ALVES, RICARDO ALVES, JUDITH FABRO, DIEGO FABRO RODRIGUES (NAMORADO DE FLÁVIA), SANDRA GREGUI, ADALBERTO GARCIA GREGUI E MARIA ALVES, entre outros, como o ex-prefeito ELOI PIETA;

Outras particularidades

- A TV Cantareira é administrada por ADALBERTO GREGUI, que está lotado no gabinete do vereador do PT, JONAS DIAS. Segundo os documentos apresentados por Denise, a TV vive no vermelho, não consegue arrecadação necessária para se manter, mesmo assim consegue pagar as contas com a ajuda de alguns amigos, entre eles um sujeito que se chama Nasser, apontado como o grande financiador da campanha de Almeida.

- os valores arrecadados na Loja Social, que fica aberta ao público, nunca entraram nas contas da ONG.

- os contratos de locações dos imóveis utilizados pela Casa de Cultura e Instituto de Promoção Social Água e Vida, ambos na rua Leopoldo Cunha, 85 – Gopouva, além do prédio da TV Cantareira, à avenida Timóteo Penteado, têm como fiadores o prefeito de Guarulhos, SEBASTIÃO ALVES ALMEIDA e sua esposa MARIA ALVES ALMEIDA, a LOURDES.
Nomes que, em algum momento, tiveram relação com a ÁGUA E VIDA que acabaram contemplados com cargos na administração municipal na gestão de ALMEIDA:

- LAURA APARECIDA SELIM (ex-vice presidente que foi para a Secretaria de Obras).

- SIDNEY DURATE (ex-presidente, ex-candidato a vereador que foi para Secretaria de Promoção Social)

- GILSON VALTÉCIO DE QUEIROZ (ex 2º secretário que foi para o SAAE)

- RICARDO ALVES DE SOUZA (ex 1º tesoureiro que foi para Secretaria de Finanças)

- RAFAEL BERTOLDO PAEREDES GIOVANNI (Conselho Fiscal que é o Chefe de Gabinete)

- RITA DE CASSIA MARTINS DE SIQUEIRA QUEIROZ (Conselho fiscal que foi para a Secretaria de Obras)

-JOAO FRANCISCO DE DEUS (Conselho Fiscal que foi para o Saae),

- JORGE DE OLIVEIRA BATISTA (2º Tesoureiro que foi para o Saae)

-SERGIO MURILO MONTEIRO COELHO (ex-presidente, Conselho Fiscal e foi para a Secretaria do Trabalho).